Um Alquimista Preguiçoso Brasileira

Autor(a): Guilherme F. C.

Revisão: Dante, Themis


Volume 1

Capítulo 12: Desculpas

No mesmo dia em que explodiu o próprio casebre, Xiao Ning mudou-se para a casa do 9° Ancião da Família, Xiao Chang. Por sorte, ele ganhou seu próprio quarto, o qual, por sinal, era duas vezes maior que sua antiga cabana.

Xiao Ning ficou parado no quarto, admirando-o. O aposento em si possuía paredes vermelhas, ornadas com desenhos extravagantes, pintados em dourado. No canto, ao lado da porta, ficava uma mesa de bambu e na parede um quadro de uma montanha verdejante. Mas o melhor mesmo era o lugar que ele iria dormir, espaçoso e confortável, forrado com lençóis de seda azul-escuro. Era uma cama gigante.

Como aquele seria seu quarto por algum tempo, Xiao Ning não teve reservas quando jogou a pele de uma Besta Demoníaca, morta há pouco, sobre a mesinha de bambu junto a um par de presas, que tinha por volta dos vinte centímetros. Presas essas, que foram extraídas usando a Energia Espiritual do Patriarca.

Após uma breve inspeção em seu novo aposento, seguido de um profundo sentimento de sonolência ao espiar a cama que passaria suas noites, a qual parecia estar chamando-o, convidando-o a experimentá-la, Xiao Ning, resistindo, deixou o quarto segurando sua lança de Sequoia Cinzenta em uma das mãos.

Ele havia perdido seu Caldeirão Encantado e quando pensava nisso, se arrependia de não ter sido mais exigente com a Família Xu. Mas, passado é passado. Não valia a pena ficar remoendo essas coisas, só daria mais dor de cabeça. Então, o que deveria fazer agora era juntar dinheiro, e rápido. O problema era que não conhecia muitos métodos para isso, não no Continente Central. Sempre foi pobre nesse lugar. Apenas um meio lhe vinha à mente neste momento e se resumia a caçar monstros.

Monstros dão muito dinheiro, o problema é que são extremamente perigosos. Ainda mais para alguém como Xiao Ning, que estava na 4° Camada do Reino Mundano e para piorar, não tinha praticado nenhuma Técnica de Combate poderosa.

Tudo bem que ele havia matado um Javali de Pelos Vermelhos, mesmo estando nessas condições, mas é preciso saber que eles não são monstros tão poderosos assim. Tirando sua pele resistente, as presas pontiagudas e a cara feiosa, eles até poderiam ser considerados monstros dóceis. Entretanto, seja na Montanha Ancestral de Jade, ou, principalmente, na Floresta Das Mil Perdições, as criaturas que se escondem por lá são tenebrosas.

Por isso, se Xiao Ning fosse de fato caçar as Bestas Demoníacas que não seriam usados em suas Composições Alquímicas, ele precisaria se preparar. Cultivar à parte, seria necessário, pelo menos, aprender uma Técnica de Combate decente. No entanto, havia outro motivo para aprender uma habilidade nova e, para Xiao Ning, isso era mais importante...

Sem um Caldeirão Encantado, praticar a Técnica das Chamas da Essência ficaria muito mais difícil, ou melhor dizendo, tedioso. E, na ausência desse item, ele também não poderia praticar Composição Alquímica. Isso significava que, para aprimorar suas Chamas, Xiao Ning teria que invocá-las e mantê-las pelo maior tempo possível, simples assim. E essa seria ou não uma tarefa entediante? Ficar horas com o braço estendido, enquanto o fogo queima na palma da mão.

Felizmente havia outra forma de aperfeiçoar suas Chamas da Essência, sem a necessidade de ficar andando por aí com os braços estendidos. E isso era praticar uma Técnica de Combate do tipo fogo. Afinal, fogo é fogo.

Ou seja, para aprimorar sua Chama da Essência e não voltar a explodir outro caldeirão, ele precisaria se acostumar com fogo, torna-se mais íntimo dele.

Assim sendo, determinado a melhorar suas Chamas, Xiao Ning se dirigiu ao pátio externo, com sua lança em mãos. Chegando lá, murmurou:

― Acho que a melhor técnica, por enquanto, são as Sete Formas do Bafo do Dragão.

Como o próprio nome sugere, as Sete Formas do Bafo do Dragão é uma habilidade que possui sete variáveis e todas diferem umas das outras. Entretanto, o que a torna tão especial, é o fato de ser preciso aprender uma forma por vez. E isso, de certa maneira, insinua uma correlação com as Chamas da Essência, pois só é possível avançar um estágio por vez.

Por exemplo, para ser capaz de usar a segunda forma, antes, é necessário dominar a primeira nos mínimos detalhes. Para usar a quarta, deve-se inicialmente aprender a terceira, a segunda e, claro, a primeira. Pode parecer trabalhoso, mas, as recompensas que se tem ao dominar as Sete Formas são engrandecedoras.

Pois você não apenas fica mais forte, como também se torna mais íntimo com o elemento base da técnica, seja ele qual for. Se for água, fluirá como água. Se for vento, flutuará como tal. Se for fogo, queimará como fogo.

Por isso, apesar de ser trabalhoso, Xiao Ning decidiu começar por ela.

Após chegar ao pátio externo, ele colocou sua lança de lado, pois antes de usá-la junto ao Bafo do Dragão, precisaria controlar a técnica. Assim sendo, fez um símbolo com as mãos, previamente desenhando algo no ar e proferiu:

― 1° Forma; Bafo do Dragão: Língua de Fogo!

Com um movimento de braço, Xiao Ning jogou sua mão direita para frente e da palma saiu uma linha de fogo, da grossura de um dedo, que não seria capaz de queimar nem algo que já estivesse pegando fogo.

A primeira tentativa foi uma falha vergonhosa.

Mas Xiao Ning não desistiu e continuou tentando, vez após vez. Da teoria ele se lembrava, agora só precisava praticar.

O dia foi passando lentamente. O sol pintou o horizonte de dourado. E Xiao Ning continuava treinando. Verdade seja dita, ele só treinou por algumas horas. Contudo, o que antes era uma linha da grossura de um dedo, transformou-se em uma labareda, com mais de dois metros de comprimento.

― Bafo do Dragão: Língua de Fogo! ― proferiu Xiao Ning e uma labareda comprida voou, engolindo tudo em seu caminho.

Satisfeito com o resultado, Xiao Ning deixou o corpo cair. Enquanto arquejava, alegre, sorriu. Alguém desinformado pensaria que aquela era uma simples labareda de fogo, criada por uma Técnica de Combate. Mas ele sabia que não era bem assim. Se fosse uma simples habilidade, não teria se dedicado por tanto tempo.

Aquela Língua de Fogo continha traços de suas Chamas da Essência e ele estava aos poucos fundindo as duas técnicas, tornando o Bafo do Dragão ainda mais poderoso e o mais importante, aprimorando as Chamas da Essência. Isso era algo que havia feito em sua vida passada, portanto, repetir a façanha não seria nenhum problema.

― Mais uma vez! ― repetiu. Ele se levantou e lançou a Língua de Fogo, colorindo o pátio externo de laranja.

Cada vez que usava a técnica, mais intensamente ela brilhava e se continuasse assim, não demoraria muito para alcançar a segunda forma.

No entanto, quando Xiao Ning estava para lançar seu ataque de novo, algo o interrompeu.

― Essa técnica é bem poderosa.

Uma voz surgiu de repente, fazendo-o suspender o treino.

Xiao Ning se virou e viu que Xiao Shui se aproximava. Ao contrário do semblante firme e imponente, que ela geralmente tinha, ainda mais severo quando se dirigia a ele, seu rosto estava desanimado, sem brilho, e a voz fraca e distante.

― Eu nunca li sobre ela no Pavilhão dos Aprendizes. ― continuou Xiao Shui, em um tom esmorecido. Já havia lido sobre todas as técnicas existentes no Pavilhão dos Aprendizes, mesmo assim, a usada por Xiao Ning não lhe era familiar.

― É por que eu não a peguei no Pavilhão. ― respondeu Xiao Ning, com sinceridade.

― Então onde você a conseguiu? ― indagou Xiao Shui, recuperando um pouco suas cores, devido a curiosidade. ― A menos que seja um Despertado, não é possível entrar no Pavilhão das Técnicas Avançadas e essa que usou é tão poderosa quanto a minha. Duvido que alguém apenas te deu.

As palavras de Xiao Shui não estavam erradas. Na Família Xiao, para aqueles preso no Reino Mundano, só era permitido pegar Técnicas de Combate e Técnicas de Cultivação Espiritual no Pavilhão dos Aprendizes, local onde ficavam as técnicas de baixo nível. As mais poderosas eram guardadas no Pavilhão das Técnicas Avançadas e os únicos que poderiam entrar naquele lugar eram os membros da Família que haviam alcançado o Reino do Despertar.

Oh, qual é a sua? ― perguntou Xiao Ning, intrigado.

― É uma técnica do Reino do Despertar. ― respondeu Xiao Shui, que preferiu não entrar muito em detalhes ― Só que você ainda não me respondeu, como conseguiu a sua?

― Achei por aí. ― disse Xiao Ning, simples, dando de ombros como se não fosse grande coisa. De fato, havia compra a Técnica do Bafo do Dragão em uma feirinha qualquer, totalmente ao acaso. ― Mas, mais importante. Aconteceu alguma coisa? ― Ele não pôde evitar de perguntar, pois, como se já não bastasse a expressão desanimada em seu rosto, ela ter se dirigido a ele de maneira tão educada, tentando manter uma conversa sem incluir insultos, era um comportamento um tanto quanto estranho, sem falar duvidoso.

― Achou por aí, não é... ― murmurou Xiao Shui, em um tom de suspeita. Ela com certeza não acreditava nisso. Porém, ao invés de interrogá-lo sobre a verdade, balançou a cabeça e continuou. ― Tanto faz, isso não importa agora. Eu vim aqui para me desculpar.

― Se desculpar? ―  Ele arqueou as sobrancelhas com estranheza. Pelo que ela tinha de se desculpar?

― Exato! ― afirmou Xiao Shui, balançando a cabeça. ― Eu conversei com meu pai e ele me explicou o motivo pelo qual o 1° Ancião Dong e ele estarem se desentendendo hoje cedo. Acontece que o 1° Ancião, junto a alguns outros, estão tentando assumir o cargo do Patriarca.

Ouvindo o que Xiao Shui disse, Xiao Ning fez uma cara estranha. Em sua vida passada, algo do tipo de fato tinha acontecido. O patriarca havia renunciado sua posição e outro assumiu, apenas não lembrava quem, talvez tenha sido o 1° Ancião. Seja como for, aquela foi a época em que a Família Xiao teve seus piores anos. Se isso voltasse a acontecer, tentar salvar a Família seria inútil. Se fosse seguir em frente com o plano de ajudá-los, precisaria fazer algo a respeito.

Mas, por enquanto, ele estava mais curioso com outra coisa:

― Se esse é o caso, então por que você está se desculpando comigo? ― Xiao Ning não entendia o que Xiao Shui estava querendo dizer. Afinal, pelo que ela precisava se desculpar?

― Acontece que ontem, na Montanha Ancestral de Jade, eu acusei você de ser o responsável pelos problemas enfrentados por meu pai e venho descontando essa frustração em você há um longo tempo. Mas ele me disse que os Anciões estão tentando tirá-lo do cargo porque ele apoia o Patriarca e estão usando você como desculpa. ― Xiao Shui abaixou a cabeça e bradou em voz alta, para que qualquer um pudesse ouvi-la. ― Eu peço profundo perdão! Não deveria ter falado aquilo. Fui injusta e desrespeitosa. Estou disposta a pagar pelos meus erros.

Xiao Shui era uma garota determinada, honesta e integra. Quando descobriu que tinha sido tão injusta com Xiao Ning, não teve outra escolha senão abaixar a cabeça e aceitar as consequências. Ela falou sério quando disse estar disposta a pagar pelos seus erros.

Porém, ao contrário dela, Xiao Ning tinha uma expressão de incompreensão. Não fazia a mínima ideia a respeito de que ela estava se referindo. E quando pareceu enfim entender, gargalhou alto e disse:

― Ahaha! Você está falando daquilo? Eu nem me lembrava! Ahaha! ― falou ele, divertindo-se com a atitude séria de Shui. Pensou que fosse alguma coisa grave, pois ela possuía um semblante tão abalado no rosto, mas, no final, não era nada demais.

― Eu posso estar errada sobre antes, mas continuo não gostando de um vagabundo como você! ― bufou Xiao Shui, com aspereza, se sentindo injustiçada. Alguém tão orgulhosa quanto ela tinha abaixado a cabeça e ele estava rindo? Maldito vagabundo!

Ahaha! Você deveria relaxar mais. ― sugeriu Xiao Ning, balançando os braços. Para alguém tão jovem, ela era uma garota rígida demais.

Por outro lado, ela o achava relaxado demais.

Depois disso, enquanto escutava os risos daquele vagabundo, Xiao Shui saiu batendo os pés, amaldiçoando-o em murmúrios. Sentia-se desdenhada. Havia se culpado tanto pela maneira injusta que o tratou, mas ele pouco se importava com isso. Ao passo que se afastava, decidiu: Nunca mais se desculparia com ele por nada.

Mais tarde, Xiao Ning voltou para o seu novo quarto. Após um dia tão conturbado, merecia uma boa noite de sono.

Na manhã seguinte, quando acordou, levantou a cabeça e enquanto uma baba espessa escorria pelo rosto, olhou de um lado para o outro. Espiou o sol invadindo alegremente a janela do canto, anunciando um próspero dia, e disse:

― Maldito sol! ― praguejou. Terminando de dizer isso, puxou os lençóis e cobriu a cabeça.

No dia seguinte...

Quando acordou, Xiao Ning se sentia revigorado. De fato, dormir por algumas horas fazia muito bem. De qualquer forma, à partir de hoje ele começaria a caçar monstros para juntar algum dinheiro.

No começo, ele pensou em vender a pele e as presas do Javali de Pelos Vermelhos, para ter algum parâmetro do valor do mercado na Cidade da Fronteira do Caos. No entanto, mudou de ideia e decidiu que antes caçaria alguns monstros diferentes. Estocaria para depois vender tudo de uma única vez. Além do mais, não tinha a menor noção de onde poderia vender essas coisas. Não conhecia, muito menos lembrava, de nada a respeito da cidade.

Com isso em mente, ele pegou sua lança, que tinha um cabo cinzento, e deixou o quarto. Seu objetivo era caçar na Montanha Ancestral de Jade. Mas antes, precisaria de algumas coisas.

Da outra vez, Xiao Ning se viu obrigado a carregar um Javali de mais de duzentos quilos por um longo caminho ― tudo bem que naquela noite teve seu melhor jantar em algumas semanas, porém, isso não mudava o fato de que teve trabalho extra. Então, agora, ele iria preparado.

Enquanto cruzava os largos corredores do casarão, Xiao Ning procurava por pessoas para lhe ajudar. Afinal, tinha perdido quase tudo durante a Explosão Alquímica, incluindo sua fronha, a qual usava de bolsa para transportar coisas. Porém, o lugar estava deserto. Tão vazio que os passos ecoavam pelas paredes. Por se tratar da casa de um Ancião, era de se esperar encontrar dezenas de empregados, mas não era essa a realidade atual.

Foi só depois de algum tempo vagando pelos corredores entrelaçados e assombrados pela solidão, que enfim se deparou com uma serviçal.

Ela parecia ser um pouco mais velha que Ning, talvez por volta dos dezoito, quem sabe vinte anos. Seu cabelo, o qual possuía um peculiar tom avermelhado, quase laranja, igual a um lume pueril lançando seus primeiros raios vespertinos, encontrava-se preso nas costas, em um modesto rabo de cavalo. Seus olhos, dotados de um verde translúcido, eram grandes e arredondados, um tanto quanto distinto das outras pessoas, totalmente invulgar. Mas o mais marcante era seu rosto que estava coberto por manchas, pequenas bolinhas, as quais se assemelhavam e muito aos seus fios inflamados.

― Posso ajudá-lo com algo, jovem mestre? ― perguntou a serviçal, de modo cortês, enquanto curvava a cabeça.

― Eu preciso de uma faca longa, mais ou menos deste tamanho ― abriu as mãos, gesticulando o tamanho aproximado que a lâmina precisava ter ― e que seja resistente. Também quero a maior bolsa que você tiver. Mas já deixo avisado, irei sujá-la e muito. E, se possível, um pote de vidro bem grande. ― Com um sorriso simpático, Xiao Ning anunciou todas as suas necessidades.

― Eu providenciarei essas coisas o quanto antes, jovem mestre. ― A serviçal tornou a curvar-se, de maneira humilde e subserviente.

― Meu nome é Xiao Ning. ― Apresentou-se, com uma expressão descontraída no rosto. ― Pode me chamar apenas de Ning, se quiser.

― Entendido. Nesse caso, o chamarei de jovem mestre Xiao Ning. ― respondeu ela, que, após declarar sua decisão, virou-se e saiu.

Ora, ora! Essa mulher também precisa relaxar. ― comentou Xiao Ning, que se sentou no chão sujo para esperar seu retorno.

Passado algum tempo, a serviçal trouxe todas as coisas pedidas por ele; não ficou faltando nada. A faca estava dentro do pote, que era para ele não se cortar, segundo ela. E o pote fora colocado dentro do saco de pano para ficar mais fácil de carregar.

Então, tendo conseguido o que precisava, Xiao Ning jogou o saco de pano nas costas e com a lança na outra mão, partiu rumo à montanha.

 


Niveis do Cultivo: Mundano; Despertar; Virtuoso; Espirituoso; Soberano do Despertar; Monarca Místico; Santo Místico; Sábio Místico; Erudito Místico.

 


Página do Facebook: Fique por dentro de lançamentos, conheça curiosidades a respeito da obra, saiba em primeira mão sobre novas histórias e interaja comigo quando quiser, a qualquer hora, além de muitas outras coisas.

Instagram: Se preferir, me siga pelo instagram, onde estarei postando trechos da história e curiosidades, além de muitas outras coisas.



Comentários