Um Alquimista Preguiçoso Brasileira

Autor(a): Guilherme F. C.

Revisão: Dante


Volume 1

Capítulo 54: Madrugadas desoladas

Nas Arenas de Combate e Treinamento, o burburinho se espalhava entre os membros, que, apesar de se apertarem para conseguir ficar o mais perto possível do palco, dividiam-se em grupos, conversando entre si, trocando “bom dia” e colocando o amigo a par dos últimos acontecimentos da vida. Também, é claro, haviam aqueles que não perderam a oportunidade de especular a respeito deste súbito encontro e as tramas que o cercavam.

No palanque erguido de um dia para o outro, no qual não existiam escadas para subir, uma pequena coleção de figuras já se faziam presentes, sentados em seus assentos. A 7ª Anciã Huo, sempre com seu rosto impassível e rígido, estava conversando com um homem de cabelo grisalho, que trajava uma túnica preta, enfeitada com botões dourados, os quais se encontrava pregados um ao lado do outro no canto direito do peito, em forma de um arco do avesso. Quem conseguia distinguir seu poder, notava que ele se encontrava na 1ª Camada do Reino Espirituoso. Aquele era Xiao Qiao, 5° Ancião, pai de Xiao Yu e um dos aliados do Patriarca.

De fato, foi devido ao relacionamento amigável entre os dois que suas filhas tiveram a oportunidade de se tornarem amigas, Yu e Xiao Li se conheceram ainda na infância e, de certa forma, cresceram juntas, até determinado ponto.

No lado oposto, Xiao Chang estava conversando com um homem de aparência desgastada cujo rosto cheio de rugas caiam sobre a face, escondendo os olhos atrás de uma fenda que mal parecia estar aberta para enxergar o mundo. O ancestral balançava a cabeça vagarosamente em movimentos pacíficos enquanto mexia a boca seca, como se estivesse mastigando algo. Aquele era Xiao Wing, 8° Ancião e o mais velho de toda a Família, para não dizer, de toda a cidade. Seu cultivo já havia atingido a 3ª Camada do Reino Espirituoso há mais de um século atrás e perdurava preso nesse nível desde então.

Ele era também o único dos dez Anciões que permanecia neutro na disputa entre o Patriarca e o 1° Ancião Dong, ao lado da 3ª Suprema-Anciã. E era por isso que Xiao Chang estava ali, conversando com ele sem parar. Tinha esperanças de que hoje convenceria aquele velho teimoso a se aliar a sua causa. Afinal, possuía um trunfo ao seu lado.

Nos outros assentos, homens de expressões severas permaneciam sentados, de cabeça erguida e boca fechada. Não tinham muito o que dizer. Até porque, só estavam ali para espionar o que o Patriarca iria aprontar. Aqueles eram os aliados do 1° Ancião. Ao todo, Xiao Dong detinha cinco figuras de extrema importância ao seu lado, entre eles estavam: o 2° Supremo-Ancião, além dos 10°, 6°, 4° e 3° Anciões.

Dos citados acima, os únicos ausentes eram o 2° Supremo-Ancião e o 6° Ancião. E era provável que nenhum deles atenderia a convocação, pois ambos se encontravam fora do território da Família no momento e suas atuais localizações, permaneciam desconhecidas... ao menos, para o Patriarca.

Apesar do 1° Ancião Dong ainda não ter chegado, o 3° Ancião, Xiao Zi (4ª Camada do Reino Espirituoso), o representava com uma carranca fechada, pouco amigável. Ele era um velho de cabelo branco, curto, penteado de um modo simples e a despeito da idade avançada, ainda dispunha do aspecto do corpo bem treinado na juventude. Sua face estava sempre marcada por expressões rigorosas e um olhar inflexível. Não gostava de se dar ao trabalho de desviar o olhar para conversar e o nariz permanecia apontado para frente.

Na Família Xiao, para se tornar um Ancião, existem alguns requisitos básicos que um indivíduo deve possuir antes de poder se candidatar para assumir tal cargo. Um deles, e provavelmente o principal, é estar no Reino Espirituoso. Todos os atuais Anciões estavam entre a 1ª e 4ª Camada de tal Reino. A única exceção se fazia na 2ª Anciã, a mais poderosa de todas.

E para se tornar um Supremo-Ancião, o requisito mínimo é ter alcançado a 5ª Camada do Reino Espirituoso. No atual momento, a Família possuía três desses indivíduos de força elevada, além, é claro, do Patriarca. Mas, novamente, vale notar que a única exceção fica toda para a Anciã Ah-kum, a qual já se encontrava na 7ª Camada do Reino Espirituoso. Sendo a mais jovem de todos, ela estava entre os mais, senão a mais forte, de todos os cultivadores da Família, incluindo o atual líder.

E falando nela, nesse monstro que não faz questão de se esconder, Xiao Ah-kum estava vestindo um deslumbrante e encantador Pien Fu. Um vestido fino de seda verde-claro, quase branco, com mangas compridas, delineava seus entornos e contornos. Na região do busto até os pés, o tecido era assaltado por pequenas marolas, que ondulavam de maneira sedosa, reluzindo um brilho fraco e atrativo. E sobre o vestido, preso ao redor do pescoço, na altura do ombro, via-se uma túnica verde, de um tom de jade bruta, dotada de estampas florais nas costas. Para completar, acima da cintura, notava-se uma cinta larga de cor idêntica ao manto.

Porém, apesar de toda a elegância transparecida pelo charmoso traje, a vestimenta parecia não caber na 2ª Anciã e não era por uma questão de medidas ou tamanho, não. Sua postura era vulgar de um jeito grosseiro. Não havia delicadeza em seus movimentos, mexendo-se e remexendo na cadeira, como se estivesse incomodada com algo ou existisse formiguinhas picando sua pele. Ela parecia extremamente incomodada e pouco à vontade nas próprias roupas, sempre puxando para cá, esticando para lá.

A Anciã, encontrava-se sentada em um dos assentos mais próximos do trono destinado ao Patriarca, enquanto conversava com um senhor de idade, trajando vestes simples, sentado ao seu lado.

O homem em questão possuía olhos de um tom escuro, quase pretos, afiados, penetrantes e perspicazes, como os de uma águia sobrevoando o céu, buscando a próxima presa abaixo. Seu cabelo grisalho era curto, com pontas espetadas em algumas partes, outras bagunçadas. Parecia que não dava muita importância à aparência, pois além do ninho desgrenhado coroando a cabeça, suas roupas também eram dotadas de uma simplicidade do campo, sem muita cor, apenas um tom pálido. E nos pés existia um par de sandálias de dedo, feitas de palha, as quais já davam sinais de desgastes.

Aquele homem, em sua simplicidade humilde, não era ninguém menos do que o 1° Supremo-Ancião, um cultivador no ápice da 7ª Camada do Reino Espirituoso, a um passo de avançar para o próximo nível. Em questão de cultivo, mostrava-se um pouco superior ao Patriarca ― nada muito extravagante ―; suas forças não estavam tão distantes assim uma da outra e quando se tratava de influência, exercia tanto quanto o próprio líder dos Xiaos, visto que era um integrante armado de antigas histórias e conquistas.

Embora seu aspecto geral fosse simples, o ar ao redor de Xiao Feng, o Supremo-Ancião, girava num requinte de sutileza. Seus movimentos, a despeito da aparência rígida e inflexível, eram exercidos com tamanha graça que, nenhuma contração se fazia desperdiçada. Se ele deslizava um dos pés, era somente alguns centímetros, o bastante para ficar em uma posição mais confortável; quando inclinava a cabeça para o lado, a fim de ouvir o que a 2ª Anciã tinha a dizer, seu pescoço se movia com leveza, apenas o suficiente para não deixar as palavras escaparem para os ouvidos dos curiosos ao redor, mesmo sendo algo difícil de evitar, tendo em vista os sentidos aguçados dos cultivadores em relação aos Mortais.

A presença do 1° Supremo-Ancião foi motivo de grande alarde para os membros da Família, não somente para aqueles que estavam abaixo do palanque. Pois todos sabiam que ele havia se retirado há pouco tempo para poder cultivar em isolamento, assim como a 3ª Suprema-Anciã. Não era esperado sua aparição, ao menos, pelos próximos cinco anos. Por esse motivo, sua volta repentina causou grande agitação entre os familiares.

Alguns diziam que isso só comprovava a saída do Patriarca, pois ele era um grande apoiador do atual líder da Família e não o deixaria passar tamanha vergonha sozinho, afinal, foi ele também que indicou o atual “Patriarca” ao cargo. Achavam que isso confirmava suas suspeitas: Grandes notícias vinham por aí, alegavam. Outros, no entanto, apenas queriam saber se os demais Supremos-Anciões também participariam.

Quase todos os membros já estavam presentes, aguardando pelo comunicado, quando Xiao Ning e Xiao Shui enfim chegaram. Ele parecia cansado e pouco disposto como sempre e ela o repreendia de maneira severa, lançando olhares julgadores. Não desgostava de Ning, pelo contrário, estava cada vez mais afeiçoada a ele. Por esse motivo implicava tanto, queria vê-lo bem, dando o seu melhor e essa era a sua maneira de incentivá-lo.

― Veja, por sua culpa vamos ter de ficar aqui atrás. ― disse Xiao Shui, tentando olhar sobre a multidão que se estendia à sua frente. Os membros da Família se apertavam, tentando ficar o mais próximo possível do palanque. Portanto, não tinha maneiras de abrir caminho sem ser sair empurrando todo mundo. Algo que não queria fazer.

― E que diferença isso faz? Nós já sabemos o que será dito. ― retrucou Xiao Ning, dando de ombros. Estava muito feliz de não ter de passar no meio daquela multidão.

― Essa não é a questão. ― exasperou Xiao Shui. E levantando a cabeça para encarar o palanque, exclamou. ― Até mesmo o Supremo-Ancião Feng veio! Se estivéssemos lá, poderíamos vê-lo mais de perto.

Hm... tem isso aqui também? ― comentou o preguiçoso, que desconhecia a existência dos Supremos-Anciões na Família Xiao. ― Por que eu iria querer ficar olhando para um velho? Se eu quiser ver um, me olho no espelho. Ahahahaha! ― gargalhou, soltando uma risada divertida.

― Pare de falar coisas esquisitas. ― resmungou Xiao Shui. ― O Supremo-Ancião Feng é a segunda pessoa mais importante da Família. ― informou, em um tom respeitoso.

Mas Xiao Ning parecia não se importar com nada disso. Ele coçou a cabeça e soltou um bocejo.

― Cadê o Patriarca? Eu quero acabar com isso logo e voltar para casa, para tirar um cochilo.

― Você precisa é de um banho. ― redarguiu Xiao Shui, fitando-o de lado.

Conforme o tempo passava e os últimos retardatários chegavam, a multidão foi se agitando cada vez mais. O falatório se espalhava entre os grupos de amigos e o rebuliço só crescia. No palanque, dos quatorze assentos, cinco ainda estavam vagos. O 2° e a 3ª Suprema-Anciã não iria comparecer, isso já havia ficado bem claro. O 6° Ancião, pelo que se sabia, estava em uma viagem, bem longe da Cidade da Fronteira do Caos. Assim sendo, os únicos que faltavam chegar era o Patriarca e o 1° Ancião Dong.

E quando a impaciência começou a brotar no público, junto a ansiedade, uma figura desceu do céu, as roupas revoltas se chocando contra o vento. O Patriarca parou logo acima do palanque e começou a descer devagar, com a postura aprumada, em uma forma imponente. As mangas largas de sua túnica tremeluziam, ondulando feito uma bandeira. Ele pousou diante dos quatorze assentos, de costas para os Anciões e de frente para os membros em geral. Fez um leve aceno de cabeça, cumprimentando todos e depois se virou.

Em seguida, passou por cada Ancião, desejando “bom dia”, acompanhado de um sorriso cordial. Mesmo para aqueles que se opunham à sua liderança, fez questão de deixar seus cumprimentos. Por fim, olhou para o trono na parte mais elevada, porém, não se sentou nele, continuou de pé na plataforma, em frente a todos.

Depois de deixar suas saudações, caminhou para a ponta da plataforma e se preparou para falar...

Mas, então, outra figura apareceu. O 1° Ancião Dong, usando um extravagante Shen-i amarelo, que reluzia ao brilho do sol como se fosse dourado, desceu do céu e foi direto cumprimentar seus aliados. Passou em frente a 2ª Anciã sem sequer virar a cabeça e parou ao lado dela, com um aceno saudou o 3° Ancião, logo após, deu meia volta e tomou seu assento.

O Patriarca meneou a cabeça em direção a ele, mas Xiao Dong permaneceu firme, olhando para frente, dotado de uma expressão rígida no rosto. Não dando importância para isso, virou-se para o público, fitando a multidão logo abaixo. Pigarreou algumas vezes, calando as vozes agitadas e começou:

― Hoje vim até aqui falar de um assunto de extrema importância, não para mim, mas para toda a Família. ― Ouvindo tal declaração logo de início, as pessoas tornaram a se agitar. Estavam certos. Algo que abalaria os alicerces dos Xiaos tinha acontecido e afetaria todos eles. ― O motivo para ter reunido vocês aqui se deve ao fato de que irei anunciar algo que afetará o destino e o futuro dos membros de nossa estimada Família Xiao. ― falou, elevando o tom de voz.

Com um semblante sério, o Patriarca caminhou pela borda da plataforma, conforme continuava:

― Mas, antes, gostaria de tocar em um assunto do qual sei que todos estão cientes, pois alguns sentiram as mudanças geradas. ― Sua voz soava feito uma trombeta, tomando cuidado ao proferir cada palavra para que não fossem perdidas pelos ouvidos mais desatentos e nem sobreposta ao burburinho que crescia em algumas partes. ― Há algum tempo, nossa Família vem sofrendo uma baixa nos recursos disponibilizados para nossos cultivadores. O salário oferecido para se manterem diminuiu. As recompensas ofertadas aos membros mais jovens pela dedicação no caminho do cultivo, que eram usados para ajudá-los a evoluir, também foram reduzidas. E recentemente, os prêmios que deveriam ser dados aos vencedores do Evento de Seleção foi inferior aos anos anteriores.

Exprimindo um semblante sincero de culpa, o Patriarca fez uma pausa, soltou um suspiro pesaroso, antes de dar seguimento:

― Não vou negar que a Família tem enfrentado problemas. As minas de Jades Elementais têm se tornado cada vez mais escassas. Alguns de nossos negócios infelizmente não têm sido tão prósperos quanto antes. ― E, neste momento, a Anciã Ah-kum lançou um olhar julgador contra o 1° Ancião, que sequer pestanejou. ― Por causa disso, me vi obrigado a tomar algumas medidas drásticas, como reduzir os salários, as recompensas e compensações. Além disso, os impostos sobre as Famílias Secundárias, pessoas de nossa Família, foram aumentados a preços excessivos, algo injusto.

Ouvindo tudo isso, Xiao Ning se impressionou. De acordo com o plano que havia traçado, o Patriarca não deveria admitir nada disso e apenas alegar que tudo havia sido feito por um “bem maior”, porque tal confissão poderia prejudicar sua imagem. No entanto, lá estava ele, falando sem esconder os por menores.

E as pessoas não deixaram passar despercebido. Alguns resmungos raivosos se levantaram aqui e ali, camuflando-se no meio da multidão, já que não seriam tolos de levantar a voz contra o Patriarca.

Contudo, foi nesse momento que o rumo do discurso mudou. Abandonando o tom depreciativo e culpado, o Patriarca ergueu a voz, calando os resmungões e continuou:

― No entanto, os Deuses sorriram para nossa Família e nos abençoaram com sua boa sorte. ― declarou, fazendo sua voz reverberar. ― Pouco tempo atrás, conseguimos um aliado que mudará nosso destino e nos levará a um novo caminho de glória e prestígio. Nos elevaremos sobre esse miasma de azar que ofuscou nossa Família e prendeu nossas pernas.

Xiao Shui desviou o olhar para Xiao Ning e comentou, fazendo birra:

― Não acho que você seja isso tudo.

― Com esse aliado ao nosso lado, nossa Família crescerá. Se tornará mais forte. Como o Patriarca, irei dar todo o meu apoio a essa entidade e juntos iremos prosperar, nos tornar mais fortes.

A voz do Patriarca repercutia entre a multidão com tamanho poder que parecia vibrar no ar. Empolgados e se deixando levar pelo ritmo, as pessoas abaixo do palanque sussurravam para os colegas ao lado, especulando sobre quem seria o aliado misterioso e de qual maneira ele poderia trazer tamanha glória para a Família. Mesmo os Anciões, aqueles que desconheciam o conteúdo da declaração, adiantaram-se em suas cadeiras e apuraram os ouvidos. E assim, um novo tumulto começou, instigado por comentários manifestando aqui e ali.

Porém, suas vozes se calaram de repente, quando a revelação seguiu:

― Nossa Família Xiao foi abençoada com o apoio de um talentoso Alquimista, capaz de criar Pílulas Espirituais!

Ouvindo a declaração final, todos prenderam a respiração em conjunto, quase em sincronia, encarando, descrentes, o homem responsável por fazer uma afirmação tão incrível quanto fantástica. E por um momento, ninguém disse uma única palavra, trazendo um tipo de silêncio que não era encontrado nem mesmo durante madrugadas desoladas.

 


Niveis do Cultivo: Mundano; Despertar; Virtuoso; Espirituoso; Soberano do Despertar; Monarca Místico; Santo Místico; Sábio Místico; Erudito Místico.

 


Página do Facebook: Fique por dentro de lançamentos, conheça curiosidades a respeito da obra, saiba em primeira mão sobre novas histórias e interaja comigo quando quiser, a qualquer hora, além de muitas outras coisas.

Instagram: Se preferir, me siga pelo instagram, onde estarei postando trechos da história e curiosidades, além de muitas outras coisas.



Comentários