Um Alquimista Preguiçoso Brasileira

Autor(a): Guilherme F. C.


Volume 1

Capítulo 6: Procurando o Pavilhão dos Aprendizes

No nono dia após o termino de casamento com Xu Xia, um mensageiro da Família Xiao se aproximou da cabana de Xiao Ning. Ele carregava algo arredondado em seus braços, que tinha uma cor escura, parecida com carvão. Sem nenhuma delicadeza, jogou o objeto no chão e falou em um tom áspero:

― Este é o caldeirão enviado pela Família Xu. ― Não se importando se Xiao Ning tinha algo a dizer, ele se virou e se afastou, resmungando algumas coisas, enquanto batia nas roupas, tentando tirar a mancha preta deixada pela fuligem presa no metal.

Xiao Ning se abaixou, olhou para o caldeirão caído no chão e soltou um leve sorriso decepcionado conforme balançava a cabeça. Parece que ele não deveria ter provocado a Família Xu, falando de sua honra. Pois o utensílio era da pior qualidade possível.

O Caldeirão Encantado, que fora dado como uma forma de compensação, parecia uma panela normal, meio oval, com alguns amassados ao redor do corpo, feita de ferro fundido e que havia sido esquecida no fogo, durante o cozimento do feijão, por tanto tempo que acabou carbonizada. Vendo aquela poeira preta presa no metal, Xiao Ning logo percebeu que o antigo usuário cometera um erro destrambelhado durante o processo de composição, resultando numa explosão.

De fato, esse caldeirão era da pior qualidade. Não valia sequer uma moedinha de bronze.

Como se já não bastasse ser feito de ferro fundido ― um péssimo material para Caldeirões Encantados ―. ele também já havia sido danificado por uma falha durante um processo de composição. Quando um Alquimista comete um erro grosseiro durante uma Composição Alquímica, não é incomum explosões acontecerem. Essas explosões podem ocorrer por diversos motivos, como, Chamas da Essência forte demais, muita Energia Espiritual usada, ou ingredientes que não deveriam ser colocados juntos, entre outras coisas. E o resultado varia de acordo com o motivo. A falha poderia resultar uma nuvem de fumaça preta sendo jogada contra sua cara, até uma mudança climática efêmera, mas caótica enquanto durasse.

As chamadas “Explosões Alquímicas” de fato são muito comuns, ainda mais para um iniciante. O problema mesmo é quando elas danificam os Caldeirões Encantados. Normalmente, um caldeirão de qualidade baixa, feito de estanho ou alumínio, consegue resistir a algumas explosões sem sofrer grandes danos.

Mas o fornecido pela Família Xu era de ferro fundido, um material quebradiço e de qualidade Inferior. Alquimistas, verdadeiros Alquimistas, nem mesmo considerariam esse tipo de sucata como um Caldeirão Encantado. E isso, quando eles ainda estão novos, sem nenhum arranhão.

E o que estava na frente de Xiao Ning, encontrava-se amassado, com rachaduras nas bordas e no fundo, parecendo que poderia quebrar a qualquer instante. E como se já não bastasse o seu tamanho diminuto, semelhante a uma panela normal, era possível ver restos de Ervas, entre outras coisas queimadas, carbonizadas e incrustadas no interior. Sendo sincero, chamar aquela coisa de qualidade Inferior era um elogio bajulador.

Porém, apesar da sucata recebida, Xiao Ning não estava chateado, apenas frustrado. Todavia, como precisava de um caldeirão qualquer para praticar, esse, até que não estava tão ruim. Afinal, mesmo tendo sido um grande Alquimista na vida passada, nessa, seu controle sobre as Chamas da Essência era baixo, seu cultivo superficial e o Sentido Espiritual raso.

Então, mesmo tendo as memórias de diversas formulas de Alquimia, ainda havia um longo caminho pela frente, até que pudesse refinar Pílulas Espirituais e cozinhar Poções de Purificação.

O único pesar era que, com esse caldeirão de qualidade Inferior e defeituoso, até mesmo praticar se tornará uma tarefa trabalhosa. Mas... bem... tanto faz.

Xiao Ning pegou o caldeirão e o levou para dentro do casebre. Então, com um pedaço de pano velho, começou a limpá-lo. Tirar a fuligem não foi uma tarefa difícil, só precisou molhar um pouco o pano. E mesmo sendo incapaz de trazer de volta suas qualidades reluzentes de sua infância metálica, quando havia acabado de ser moldado naquela forma, ao menos a poeira grossa foi capaz de espanar. O problema mesmo eram os restos incrustados no interior. Para retirar aquela sujeira, seria necessário raspar com uma espátula de metal, a qual não possuía. Por isso, teve de se virar usando os galhos secos, amontoados na pilha de lenha da fogueira.

Como Xiao Ning ainda não havia pegado nenhum ingrediente, para fazer as Composições Alquímicas, decidiu que primeiro testaria o artefado a fim de descobrir se ele aguentaria uma Refinação ou Cocção. Dessa forma, colocou-o sobre o buraco no chão, no meio da cabana, onde a fogueira era acesa, e invocou as Chamas da Essência.

Como se obedecesse ao seu comando, as chamas pularam de suas mãos em direção ao buraco e começaram a queimar o fundo do Caldeirão Encantado.

Enquanto o fogo aquecia o ferro, Xiao Ning abaixou e examinou para ver se havia algum risco de explosão. No entanto, apesar dos estalos que ecoavam e o chiar sussurrante de algo velho fervendo, parecia que aquela sucata ainda aguentaria um pouco mais.

Depois de ter certeza que o caldeirão não explodiria assim tão fácil, Xiao Ning aumentou as Chamas da Essência, fazendo o lume laranja subir através do ferro e chamuscar as bordas do metal enegrecido. De repente, um cheiro podre, de misturas malfeitas, contagiou o ar e se espalhou pela cabana.

Xiao Ning abaixou o rosto e deu algumas fungadas. Não havia dúvidas de que o odor vinha dos restos remanescentes das antigas Composições Alquímicas, realizadas pelo dono antecessor, o qual não poderia ser limpo fazendo uso de um simples pano molhado ou um pedaço de madeira seca. E essas impurezas acabariam prejudicando a qualidade e pureza das coisas que forem preparadas ali no futuro. Mas como era apenas para treinamento, não tinha problema.

Agora que já havia testado o caldeirão de ferro fundido, tudo o que faltava eram os ingredientes para começar as Composições. Mas, antes disso, ele precisava aumentar sua força, já que, as Ervas usadas só poderiam ser encontradas nas partes mais elevadas da montanha, longe do território das Famílias, onde ainda não houve nenhuma colheita em massa. E essas áreas costumam ser perigosas, com um clima instável e monstros à espreita.

E como ele não queria morrer uma segunda vez, precisava se preparar da melhor maneira. Pelo menos, aprimorar um pouco a arte marcial.

Mesmo sentindo que poderia morrer de ansiedade, Xiao Ning conseguiu se segurar. Nos dias seguintes, treinou com bastante diligência e a cada dia suas habilidades de combate melhoravam. Claro, ainda era fraco, mas nem se comparava há algumas semanas atrás. Daria uma surra no seu eu do passado.

Alguns dias depois, mais ou menos duas semanas após o rompimento do noivado, Xiao Ning estava dormindo tranquilamente sobre seu colchão de trapos. Ainda era noite, quando, de repente, a luz da Técnica do Dorminhoco Eterno, que envolvia seu corpo, começou a brilhar mais forte. Um feixe azul irradiou pelo casebre e atravessou a janela quebrada.

Neste momento, Xiao Ning abriu as pálpebras e raios azuis saltaram de seus olhos. Ele sentiu a Energia em seu corpo crescer, seus músculos ficando mais fortes e seus sentidos mais aguçados.

Sentindo a mudança repentina, enquanto ainda continuava deitado, Xiao Ning escorou o cotovelo no chão e com o corpo inclinado, murmurou:

Oh! Avancei de nível! ― balbuciou, em um tom sonolento, um pouco surpreso.

Não é que essa evolução fosse inesperada ― já havia pressentido que poderia aumentar de nível a qualquer instante. Apenas, não fazia nem um mês que tinha voltado e já conseguiu avançar duas camadas do Reino Mundano, e isso sem a ajuda de qualquer tipo de pílula ou ervas, que aumente a Energia Espiritual.

Se continuasse evoluindo rápido assim, logo, logo, chegaria ao próximo Reino.

― Bem... Tanto faz. ― Murmurando isso, ele deixou o corpo cair e desmaiou. No mesmo instante, uma luz azul cobriu seu corpo, indicando que já se encontrava no mais profundo sono.

Quando voltou a acordar, o sol já havia surgido e o barulho de pássaros cantando do lado de fora eram ouvidos. Ele se espreguiçou e com um salto se levantou. Checou o corpo, para ver como estava e reparou que a Energia Espiritual tinha estabilizado. Em seguida, concentrou a Energia na palma da mão e centelhas carregadas de eletricidade, dançaran entre seus dedos. Era visível que a Palma Elétrica ficara mais poderosa.

Com a mão aberta, Xiao Ning bateu de leve a palma contra a parede da cabana. Feixes de eletricidade percorreram a madeira, como se estivesse procurando algo para atordoar.

Satisfeito com o resultado ― apesar de não ser assim tão impressionante ―, Xiao Ning balançou a cabeça em aprovação. A Técnica da Palma Elétrica é uma habilidade usada para entorpecer o inimigo. Por isso, não esperava causar grandes estragos, nem nada do tipo.

Agora que enfim havia entrado na 4° Camada do Reino Mundano, Xiao Ning não teria mais que se preocupar em adentrar nas partes mais isoladas da montanha Ancestral de Jade. Obviamente, a maioria dos monstros encontrados por lá seriam muito mais fortes do que ele, mas estava seguro de que poderia escapar sem grandes problemas dos perigos que encontraria.

Estava decidido! Era hora de colher Ervas Espirituais e alguns outros ingredientes.

Mas antes, precisava de uma arma. Nem a Palma Elétrica, nem a Palma Flamejante eram técnicas capazes de matar monstros. Elas eram fracas e sem poder de destruição. Sendo assim, havia a necessidade de algo mais mortífero, tipo uma espada ou um arco e flecha.

E só havia um lugar que alguém pobre feito ele poderia conseguir isso e era no Pavilhão Dos Aprendizes.

Sempre que um cultivador iniciante alcançar a 3°, 5° e 7° camada do Reino Mundano, a Família Xiao iria lhe presentear permitindo-o escolher algo do Pavilhão Dos Aprendizes, local em que são guardadas Técnicas de Combate e Técnica de Cultivação Espiritual, assim como armas.

Apesar de Xiao Ning se lembrar disso, não recordava como era o Pavilhão Dos Aprendizes. Para ser sincero, nem sabia se já tinha estado lá. Até mesmo sua localização lhe era incerta. Portanto, sem mais demoras, pegou o saco de pano velho, que cumpria o papel de travesseiro, jogou o recheio que havia dentro no chão ― um conjunto de roupas, a única tralha possuída além da que estava usando, e um pedaço de estofa, a qual cuspia poeira, como um adorador de cachimbo cospe fumaça ― e partiu a procura do pavilhão.

A propriedade pertencente à Família Xiao era uma terra vasta, até porque, se não fosse assim, não seria possível acomodar tantas pessoas. O problema disso era se lembrar onde ficava cada salão e casa. Por esse motivo, encontrar um único pavilhão no meio de tantos, não seria uma tarefa fácil.

Xiao Ning até poderia perguntar a alguém a localização do Pavilhão Dos Aprendizes, mas obter uma resposta honesta era o problema. Depois de ter escutado alguns bons insultos durante sua visita a arena usada como treinamento pelos jovens, questionou se seria possível obter uma indicação sincera.

Tendo isso em mente, ele teve que vagar de um lado para o outro, contando apenas com a sorte. Em certo momento, acabou invadindo um Salão Espiritual, bem na hora em que um professor dava uma bronca no aluno. Depois, sem querer, interrompeu uma reunião que estava acontecendo em um saguão.

Apesar da maioria dos edifícios terem uma placa escrita, indicando o que havia ali, aqueles sem qualquer referência, Xiao Ning saía entrando, sem bater na porta ou avisar sua chegada. Por causa disso, uma onda de reclamações se espalhou entre os membros da Família Xiao. Já que, até mesmo casas, ele invadiu, deixando apenas uma desculpa pouco sincera e nada arrependida para trás.

Porém, apesar de toda a comoção que causou, ainda não conseguira encontrar o Pavilhão Dos Aprendizes. Já havia encontrado o Pavilhão Das Armas, o Pavilhão Das Técnicas Avançadas, mas nada dos “Aprendizes”.

Foi só quando começou a subir um pico, próximo a um Salão Espiritual, que avistou uma placa, pendurada no alto, com os seguintes dizeres: Pavilhão Dos Aprendizes.

Quando enfim encontrou o que procurava, Xiao Ning soltou um suspiro aliviado. Ele já estava começando a pensar que passaria o dia todo procurando esse maldito lugar. Mas, por sorte, suas preces foram atendidas.

Sem pressa, ele caminhou em direção ao topo do pico. Logo ao se aproximar, avistou adolescentes, que pareciam ter a mesma idade ou um pouco mais jovens do que ele, entrando e saindo do edifício.

O Pavilhão Dos Aprendizes era um lugar enorme, parecia ter três andares de altura, com uma estrutura construída em um formato de cone, cuja parte mais alta do telhado lembrava um chapéu pontudo. Nem valia o esforço comparar a cabana de Xiao Ning com ele. A parede externa era pintada por uma cor laranja chamativa. Nas bordas das telhas pontiagudas, via-se um dourado cintilante, refletindo o brilho do sol. E no hall de entrada, dois guardas imponentes vistoriavam todos que desejavam ir além.

Quando chegou perto, Xiao Ning logo sentiu a aura que exalava dos guardas, mesmo eles tentando suprimi-las. Sem sombras de dúvidas, ambos estavam no Reino Virtuoso. Porém, apesar de ter praticado seu Sentido Espiritual, ainda não conseguia dizer com exatidão em qual camada eles se encontravam.

Mas mesmo não sendo capaz de sondar isso, sabia que dentro da Família Xiao, apenas os melhores alcançam o Reino Virtuoso. Acima, apenas os Anciões. E até poderia parecer estranho, duas pessoas, claramente importantes, estarem guardando um lugar como este, que só possui técnicas e armas de baixo nível e qualidade. Entretanto, independente de qual grupo fosse, mesmo técnicas de baixo nível eram consideradas tesouros a serem protegidos. Afinal, seria uma vergonha ter seus segredos roubados com tanta facilidade.

Quando Xiao Ning chegou perto dos guardas, um deles disse:

― Identifique-se! ― exigiu o da direita.

― Xiao Ning, filho de Xiao Zhuang!

Hm... Você é o filho de Zhuang? ― indagou o guarda da esquerda, olhando para Ning com interesse. ― Achei que você fosse um inútil que ainda estava na segunda camada do Reino Mundano.

Ahahaha! ― gargalhou Xiao Ning em resposta, não se sentindo ofendido pelo comentário sincero. ― Acho que minha sorte mudou. ― brincou.

― Veio fazer o que aqui? ― questionou o da direita, aparentando ser o mais sério entre os dois.

― Agora que cheguei a 4° Camada, pensei em adquirir uma arma. ― respondeu Xiao Ning, balançando os ombros de maneira casual.

― A ala com as armas permitidas para alguém abaixo da 5° camada, fica nos fundos do primeiro andar. E a menos que seja um conjunto, você só pode pegar uma. ― informou o da direita, com uma voz direta, dispensando conversas desnecessárias.

― Sem problemas. ― Dizendo isso, Xiao Ning enfim entrou no Pavilhão Dos Aprendizes.

O lado de dentro do pavilhão era enorme, com dezenas de estantes imponentes, contendo centenas de pergaminhos. Ali, não eram armazenadas somente Técnicas de Combate e Cultivação Espiritual, também existiam pergaminhos de histórias, filosofia, astronomia, astrologia, geografia, entre outras coisas.

As imponentes prateleiras formavam longos corredores, que iam de uma ponta a outra. Xiao Ning não tinha interesse pelas técnicas e era preguiçoso demais para ler um livro de história. A menos que houvesse um pergaminho falando de Alquimia ― o que era difícil ― não havia porque perder seu tempo naquele lugar. Então, foi direto para o fundo do recinto.

Chegando lá, ele logo avistou um punhado de armas, muito bem organizadas, penduras em grampos nas paredes ou sobre um balcão largo de madeira, localizado na parte mais baixa de um declive no assoalho.

Ali havia tudo quanto é tipo de arma; espadas eram vistas aos montes; porretes e massas de ferros ficavam no chão, pois eram muito pesados; pendurados nas paredes se viam arcos de diversos tamanhos e eles já vinham acompanhados de aljavas e dezenas flechas; enrolados em ganchos, encontravam-se chicotes; e pregados nas paredes, machados gigantes impunham respeito, alguns de corte único, outros de lâmina dupla.

Xiao Ning deu uma breve olhada nas armas e logo encontrou o que estava procurando. Na verdade, quando decidiu que iria para a Montanha Ancestral de Jade, já sabia qual arma usaria para se proteger. Era a mesma que usava em sua vida passada, uma lança. Bem, ele não usava exatamente uma lança e sim uma alabarda, mas como não havia uma aqui...

Ele caminhou até as sete lanças, escoradas na parede e as examinou, sob um olhar atento e bastante julgador...

― São todas Terrenas. ― murmurou, após checar.

Assim como técnicas e o próprio cultivo, as armas possuíam níveis diferentes, embora sua classificação seja muito mais simples. Na verdade, existem apenas três tipos: Terrenas; Despertadas; Ancestrais.

E da mesma forma que o Reino Mundano era o mais baixo, a arma Terrena era a mais fraca. Não havia muita diferença entre ela e as ferramentas usadas pelos mortais (pessoas comuns que não cultivam), tirando o material que era um pouco melhor. As Despertadas, por outro lado, eram criadas por mestres artesões, feitas de materiais raros e submetidas a temperamentos angustiantes. Já as Ancestrais, se procurasse em todo o Continente Central, muito provavel, não encontraria nenhuma.

Xiao Ning estudou as sete lanças, mas não havia nada de especial em nenhuma delas. Eram todas Terrenas, feitas a partir dos materiais mais ordinários. O que era frustrante, pois queria muito uma Despertada. Mas talvez, para a Família Xiao, ou os habitantes em geral do Império Dourado, não era tão fácil obter uma arma com esse nível elevado.

De qualquer forma, após um exame atento, Xiao Ning optou por pegar uma lança, que tinha um pouco mais de um metro e oitenta de comprimento; dez centímetros maior do que ele. O cabo era feito de Sequoia Cinzenta e tinha uma cor esfumaçada. E a ponta, afiada feito agulha, era de Aço Rochoso, com um tom escurecido e opaco.

Escolhendo qual lança levaria, Xiao Ning a pegou e girou-a entre os dedos, demonstrando maestria. Em seguida, invocou a Palma Elétrica e fios de descarga dançaram através da madeira até a ponta de metal. A despeito de ainda não ter praticado nenhuma vez com uma lança, os movimentos suaves que fazia, provava que aquele tipo de arma não lhe era estranho.

― Essa deve servir. ― comentou, dando sua aprovação.

E agora que já havia escolhido sua arma, estava na hora de ir para a Montanha Ancestral de Jade. E como tinha se lembrado de trazer um saco de pano, não precisaria ter o trabalho de voltar até o casebre.

Dessa forma, com uma lança em uma mão e uma fronha velha na outra, Xiao Ning seguiu rumo à montanha.

 


Niveis do Cultivo: Mundano; Despertar; Virtuoso; Espirituoso; Soberano do Despertar; Monarca Místico; Santo Místico; Sábio Místico; Erudito Místico.

 


Página do Facebook: Fique por dentro de lançamentos, conheça curiosidades a respeito da obra, saiba em primeira mão sobre novas histórias e interaja comigo quando quiser, a qualquer hora, além de muitas outras coisas.

Instagram: Se preferir, me siga pelo instagram, onde estarei postando trechos da história e curiosidades, além de muitas outras coisas.



Comentários